25 janeiro, 2007

Fama e Preconceito

Parece quase impossível a forma como os serviços informativo na net quase deixaram assar impune a atitude do Ex.mo Sr. Juiz Hugo Campanela. Com excepção do Estupefacto, nenhum outro blogue português se escandaliza com as aventuras do Luisão.

Dois senhores beberam um pouco à refeição e foram conduzir, cada um no seu carrinho. Ora Os senhores agentes da PSP fizeram ambos parar para um teste do balão e, por coincidência ambos apresentavam uma taxa de 1,2mg/L. Como esta taxa já é considerada crime (ou infracção grave? não me lembro), ambos os homens foram presentes à admirável figura do Sr. Hugo Campanela. Ora, um juiz é obrigado por lei a não fazer distinção de género, cor ou religião. O Sr. Hugo de facto não o deve ter feito, mas limitou-se à letra da lei. A lei prevê cassação de carta a quem conduza com tamanha quantidade de álcool no sangue, multa e eventualmente pena de prisão. Com excepção da última medida punitiva, um dos homens ficou (e muito bem!) sem carta e com uma multa que me arrepiaria a carteira. Quanto ao outro, o Sr. Hugo, na sua divina iluminação, decidiu convida-lo a fazer 40 horas de serviço em prole da comunidade. O primeiro homem era um serralheiro, o segundo, um estrangeiro que joga futebol no Benfica.

Ora, mais do que acharmos mal que o estrangeiro não tenha tido uma pena mais semelhante à do seu colega no banco dos réus, não deveríamos antes achar insultuoso que o Sr. Hugo esteja ainda a exercer o cargo de juiz sem ter sido algo de uma avaliação? Afinal, que justiça poderá sair de um sistema judicial com tais senhores nas posições de decisão?

Sem comentários: